Sistemas de Aquecimento de Piscinas

Alberto Hernandez Neto

1/4/2022 2 min read

No processo de escolha do sistema a ser usado no aquecimento de piscina de condomínios residenciais deve ser levado em conta aspectos como espaço físico a ser ocupado pelo sistema, custo inicial e de operação/ manutenção bem como as exigências de controle de temperatura requeridos para a piscina. Este último item, usualmente menos exigente, sendo que os sistemas hoje ofertados atendem adequadamente as demandas de controle de temperatura em piscinas para condomínios residenciais.

Dessa forma, o foco deve ser dado nos demais aspectos e a seguir será feita uma comparação entre alguns dos sistemas disponíveis no mercado em função do tipo de energia/ combustível utilizado.

1.     Aquecedores solares

Estes aquecedores se utilizam de coletores solares (caracol, placa plana ou tubos a vácuo) para o aquecimento da água semelhantes ao sistema de aquecimento solar para água de banho. No caso de piscinas, dependendo das condições climáticas e dos horários de uso da piscina, a área a ser ocupada pelos coletores é bastante grande (para uma piscina de 40.000 litros são necessários 30 a 35 m2 para os coletores). Em alguns casos, ele pode ser usado como um sistema de pré-aquecimento da água para um outro sistema como aquecedores a gás ou elétricos. Do ponto de vista de custos de operação, ele é uma alternativa econômica, porém deve ser previsto um sistema de backup (elétrico ou gás) para garantir o aquecimento em momentos com baixa radiação solar (dias nublados e/ou chuvosos).

2.     Aquecedores a gás

Estes sistemas podem ser divididos em sistemas com armazenamento (“boilers” a gás) ou sem armazenamento (aquecedores de passagem). No primeiro, o espaço ocupado é maior que no segundo pois exige um tanque maior no qual é armazenada a água quente. Por utilizar gás como combustível, cuidados extras devem ser tomados na sua instalação para garantir uma boa ventilação, evitando riscos de explosão. Além disso, deve ser feita uma análise econômica para verificação de sua viabilidade econômica quando comparados a outros sistemas devido a substancial dependência do sistema pelas tarifas praticadas pelas fornecedoras de gás da região onde será instalada a piscina.

3.     Aquecedores elétricos

Os aquecedores elétricos com armazenamento (“boilers” elétricos) possuem a mesma desvantagem que os “boilers” a gás em relação ao maior espaço ocupado acrescido de um custo de operação alto, devido ao custo praticado de energia praticado pelas concessionárias.

Uma alternativa seria o sistema de aquecimento com bombas de calor que utiliza um sistema de refrigeração reverso para aquecer água e tem um consumo de energia bem menor comparado com os “boilers” elétricos (em torno de 70% menor).

4.     Conclusões

Portanto, a escolha do sistema de aquecimento de água deve passar por uma análise técnica e econômica que leve em consideração o local onde a piscina vai ser instalada (clima, possível sombreamento de outros edifícios, etc.), o espaço físico a ser ocupado peço sistema e seus componentes e os custos de operação (tarifas de energia, água e gás) bem como os custos de manutenção. Esta análise deve ser realizada por profissional qualificado que possa oferecer com imparcialidade a melhor solução para cada caso.

Autor: Alberto Hernandez Neto
Professor Associado do Departamento de Engenharia Mecânica da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo com mais de 30 anos de experiência em análise técnica e econômica de sistemas de resfriamento e aquecimento na área de edificações residenciais e comerciais.

Manu

Fale conosco:

(041) 99125-5470